16 de julho de 2010

trata-se de...

...a felicidade não é um absoluto, é um processo, um movimento, um equilíbrio, só que instável, uma vitória, só que frágil, sempre a ser defendida, sempre a ser continuada ou recomeçada.
Não sonhemos a sabedoria; paremos, ao contrário, de sonhar nossa vida! Não se trata de se impedir de esperar, nem de esperar o desespero.

Trata-se, na ordem teórica de: crer um pouco menos e de conhecer um pouco mais

na ordem prática, política ou ética trata-se de: esperar um pouco menos e de agir um pouco mais

e enfim, na ordem afetiva ou espiritual, trata-se de: esperar um pouco menos e amar um pouco mais...

trecho do livro de Andre Comte-Sponville "A felicidade, desesperadamente"

Um comentário:

blogdaSerenadog disse...

Sempre senti assim...A felicidade é um contínuo com alguns (ou muitos) solavancos. Não chamo esse sentimento de otimismo ou passividade, chamo de alegria...onde cada dia ou noite, mesmo sendo sempre iguais, são inigualáveis .Infelizmente nem todos têm olhos, ouvidos e um bom nariz para perceber essa originalidade.
Lambidas sensitivas...